Polícia Civil

Estado de Sergipe

11 de julho de 2024, 10:26

Sergipe encerra primeiro semestre com queda de 23% nos homicídios em comparativo entre primeiro semestre de 2023 e 2024

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Resultados da redução da violência no estado foram apresentados em entrevista coletiva que detalhou os dados de crimes contra a vida no estado

Em continuidade à tendência de queda na incidência de homicídios no estado, Sergipe apresentou a menor quantidade de vidas perdidas em 21 anos. No comparativo entre o primeiro semestre de 2023 e o mesmo período de 2024, a diminuição de homicídios foi superior a 23%, conforme levantamento feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da SSP (CEACrim). Os dados foram apresentados durante entrevista coletiva realizada na manhã desta quinta-feira, 11.

Conforme o mapeamento da CEACrim, no comparativo entre os seis primeiros meses de 2023 e o mesmo período de 2024, a CEACrim identificou que houve uma diminuição de 23,7% na incidência de homicídios em todo o estado de Sergipe. No primeiro semestre do ano passado, ocorreram 245 homicídios, contra os 187 casos registrados no mesmo período deste ano. Pelo menos 58 vidas foram preservadas em Sergipe.

Quando o recorte é feito na série histórica de 21 anos, enquanto que nos seis primeiros meses de 2003 aconteceram 285 homicídios em Sergipe, ocorreram 187 crimes desse tipo no estado durante o primeiro semestre de 2024. Pelo menos 98 pessoas tiveram suas vidas preservadas como resultado das ações da segurança pública de Sergipe. Em termos percentuais, a retração foi de 34,4% entre os primeiros semestres de 2003 e 2024.

Conforme o diretor da CEACrim, Sidney Teles, os números são obtidos a partir de uma metodologia técnica que permite o mapeamento dos crimes violentos em Sergipe. “Diariamente, nós coletamos os números do IML, procuramos os boletins de ocorrências e separamos todos os tipos penais. Desde 2003 isso é feito, e hoje a gente faz levantamentos muito mais rápido, proporcionando os comparativos que apresentamos”, explicou.

Para o tenente-coronel Alysson Cruz, os resultados são reflexo da integração entre os órgãos de segurança pública e emprego racional da tropa no território sergipano. “É um resultado de um planejamento estratégico e operacional feito com a análise de dados e acompanhamento da mancha criminal. São todos os órgãos da segurança pública somando esforços para ofertar melhor qualidade de vida aos sergipanos”, evidenciou.

Segundo a coordenadora das delegacias da capital, Rosana Freitas, investimentos como a criação de unidades de investigação de homicídios na Polícia Civil, em conjunto com a integração entre as forças de segurança, é primordial para esses resultados. “Também a realização de concursos, aquisição de equipamentos e melhoria de infraestrutura. Com isso, temos obtido esses resultados positivos ano após ano”, ressaltou.

De acordo com o coordenador-geral de perícias, Victor Barros, para os resultados apresentados nesta quinta-feira, também é fundamental a atuação da Polícia Científica. “Nós atuamos nessa engrenagem fornecendo subsídios para o correto indiciamento dos investigados. O incremento das equipes de local de crime com novos prédios e laboratórios contribuiu para a redução dos crimes violentos no estado”, avaliou.  

Destaque para Itabaiana

Antes tida como uma das mais violentas do estado, o trabalho integrado entre as polícias Civil, Militar e Científica levou Itabaiana ao patamar de uma das cidades mais seguras de Sergipe. Conforme o levantamento da CEACrim, Itabaiana apresentou o menor número de homicídios desde o primeiro semestre de 2016 – ano em que houve alta na incidência de crimes em todo o território sergipano. É o menor número na série histórica.

Segundo a CEACrim, a queda percentual foi de 86,5%. Enquanto que nos seis primeiros meses de 2016 aconteceram 52 homicídios na cidade serrana, no mesmo período de 2024 ocorreram sete crimes desse tipo penal em Itabaiana. Em termos de vidas preservadas, a retração indica que, pelo menos, 45 pessoas tiveram suas vidas preservadas como resultado das ações de combate à violência na cidade. 

Capital

Para o recorte Aracaju, o mapeamento feito pela CEACrim apontou que a capital do estado apresentou redução de 37,3% nos casos de homicídio no comparativo entre o primeiro semestre de 2003 e o mesmo período de 2024. No período, pelo menos 38 vidas foram preservadas como resultado do trabalho conjunto entre as polícias Civil, Militar e CIentífica no enfrentamento à violência na capital sergipana.

Quando a avaliação é feita apenas levando em consideração os registros de homicídios nos seis primeiros meses de 2023 e no mesmo período de 2024, a retração identificada pela CEACrim foi de 15,8%. No primeiro semestre do ano passado, aconteceram 76 homicídios, ante 64 crimes no mesmo período deste ano. Ao menos 12 vidas foram preservadas na capital sergipana entre os primeiros semestres de 2023 e de 2024.

Região Metropolitana

No recorte feito apenas para as cidades de Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros, a CEACrim identificou que houve uma queda de 26,2% no comparativo de homicídios entre os primeiros semestres de 2024 e de 2006. Na região, a série histórica abrange 18 anos. No primeiro semestre de 2006, ocorreram 42 homicídios, ante 31 crimes, no mesmo período de 2024.

Ainda na Região Metropolitana, quando o levantamento leva em consideração apenas os primeiros semestres de 2023 e de 2024, a retração nos homicídios foi de 32,6%, também conforme o mapeamento feito pela CEACrim. Nos seis primeiros meses do ano passado, aconteceram 46 homicídios. Já no mesmo período deste ano, foram 31 crimes desse tipo na região. Ao menos 15 vidas foram preservadas.

Interior do estado

Já no somatório entre os homicídios registrados nos demais 71 municípios sergipanos, a CEACrim verificou uma diminuição de 34,3% entre os primeiros semestres de 2003 e de 2024. Enquanto que, nos seis primeiros meses de 2003, aconteceram 140 homicídios no interior sergipano, no mesmo período de 2024, ocorreram 92. Pelo menos, 48 pessoas tiveram suas vidas preservadas no período no interior sergipano.

Quando o levantamento é feito considerando os dados dos primeiros semestres de 2023 e de 2024, a CEACrim identificou queda de 25,2% nos casos de homicídios no somatório entre todos os municípios do interior sergipano. Nos seis primeiros meses do ano passado, ocorreram 123 homicídios. Já no mesmo período deste ano, aconteceram 92. Ao menos 31 vidas foram preservadas como resultado das ações integradas de segurança pública.