Polícia Civil

Estado de Sergipe

4 de janeiro de 2024, 15:13

Roubos e furtos de veículos caem 36% em Sergipe, aponta Segurança Pública

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Com pelo menos mil veículos que não foram alvo de investidas criminosas em 2023, sergipanos economizaram cerca de R$ 30 milhões no valor dos seguros

Como resultado do trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar, os roubos e furtos de veículos em Sergipe caíram 36% em comparativo entre os anos de 2022 e 2023, conforme levantamento feito pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV). Em 2023, pelo menos mil veículos não foram roubados em Sergipe com base em dados levantados pela DRFV. Com essa redução da incidência dessas investidas criminosas, as seguradoras estimam que os sergipanos economizaram R$ 30 milhões em pagamento de seguro até pelo menos outubro de 2023. 

Esse monitoramento da redução dos crimes de roubos e furtos de veículos vem sendo feito de forma consistente desde 2020, conforme explicou o diretor da DRFV, delegado Kassio Viana. “Os números estão sendo levantados de forma concreta desde 2020. De lá para cá, a gente vem tendo redução ano a ano. Nesse ano de 2023, tivemos a nossa maior redução, com diminuição de 36%”, especificou.

Apenas no tocante aos casos com violência e grave ameaça, foram 900 veículos a menos levados por criminosos em investidas com armas de fogo ou facas em comparativo entre 2022 e 2023. Na série histórica que vem de 2020, também foi identificada uma queda de 60%. “E isso traz tranquilidade para a gente, pois são pelo menos 900 pessoas que não correram risco à vida em ações criminosas”, detalhou Kassio Viana.

Dentre os fatores que resultaram na queda da incidência dos roubos e furtos de veículos na em Sergipe, está a integração entre as polícias Civil e Militar. “Trocando informações, fazendo operações, cumprindo mandados de prisão e mapeando a cidade para identificar os locais e horários onde os casos frequentemente ocorrem. Montamos operações também para prender os envolvidos”, complementou o delegado.

No que se refere às operações, a Polícia Militar recebe informações da Polícia Civil que norteiam as operações de combate aos crimes de roubos e furtos de veículos, conforme salientou o subcomandante do policiamento militar da capital, tenente-coronel Thiago Costa. “E montamos pontos de bloqueio e atuamos com equipes especializadas, assim temos obtido bons resultados”, reforçou. 

Inclusive Kassio Viana ressaltou que a atuação das forças de segurança pública têm sido centradas principalmente no combate aos crimes de roubos e furtos de veículos praticados com violência. “Obviamente que a gente quer e pretende diminuir mais ainda. A gente comemora esses números e esperamos continuar diminuindo esses índices de roubos e furtos de veículos na região”, reiterou o diretor da DRFV.

Essa integração é evidenciada pelo subcomandante do CPMC ao enfatizar que a troca de informações entre as polícias é essencial para a redução da incidência dos casos de roubos e furtos de veículos em Aracaju e Região Metropolitana. “A integração, com certeza, é a chave do sucesso para que o cidadão sergipano possa viver em um estado cada vez mais tranquilo”, ressaltou o tenente-coronel.

Destaque nacional

Ainda conforme o levantamento feito pela DRFV, até o meio do ano de 2023, Sergipe ficou em primeiro lugar no número de redução de roubos de veículos a nível nacional, assim como relatou Kassio Viana. “E o nosso segundo semestre foi melhor do que o primeiro, então é provável e é possível que a gente também feche 2023 como o primeiro lugar do Brasil na redução de roubos e furtos de veículos no Brasil”, ressaltou.

Redução diminui valor do seguro

Além do fator segurança, a redução dos roubos e furtos também impacta em uma redução no valor dos seguros de veículos. Kássio Viana destacou que as empresas seguradoras identificaram uma redução de quase 12% no valor do seguro em Sergipe. “Isso representa quase R$ 30 milhões a menos pagos pelos sergipanos até outubro de 2023. É uma média de R$ 2,5 milhões a menos pagos graças ao trabalho da segurança pública”, finalizou