Polícia Civil

Estado de Sergipe

29 de dezembro de 2023, 13:05

Retrospectiva 2023: Denarc prende 107 traficantes e apreende mais de 773 kg de drogas em Sergipe

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Ações também envolvem investigações para o bloqueio de recursos financeiros e patrimônio de traficantes

Como resultado das operações contra o tráfico de drogas deflagradas em 2023, o Departamento de Narcóticos (Denarc) prendeu 107 traficantes e apreendeu mais de 773 kg de drogas em Sergipe. Dentre os entorpecentes apreendidos pela unidade especializada no combate ao tráfico de drogas da Polícia Civil, estão maconha, cocaína, crack, além de unidades de substâncias sintéticas.  

Conforme o levantamento feito pelo Denarc, durante o ano de 2023 foram apreendidos 435kg de maconha, 328kg de cocaína, 10kg de crack e 300 unidades de substâncias conhecidas como drogas sintéticas. Além do volume de drogas apreendidos durante este ano, o Denarc também conduziu apreendeu 15 armas de fogo, incluindo um fuzil apreendido com um traficante de Sergipe no complexo da Maré, no Rio de Janeiro. 

Para os números de drogas apreendidos em 2023, também houve a atuação na apuração da movimentação financeira e bloqueio de valores dos grupos criminosos, assim como explicou o diretor do Denarc, delegado Ataíde Alves. “Esse trabalho de combate às drogas vai continuar e vamos aprofundar investigações financeiras, pois não adianta pegar a droga e deixar o patrimônio dos grandes traficantes”, ressaltou.

Esse trabalho desenvolvido pelo Denarc também é fruto da integração entre as forças de segurança pública de Sergipe, assim como evidenciou o delegado Ataíde Alves. “Temos as outras unidades da Polícia Civil, como a Divisão de Inteligência (Dipol), delegacias e departamentos, além da Polícia Militar e as guardas municipais. Esse trabalho conjunto é fundamental para esses resultados”, relatou.

Incinerações

Ainda durante o ano de 2023, o Denarc fez duas ações de incineração de drogas que foram apreendidas durante operações das forças de segurança pública em Sergipe. “Totalizando mais de três toneladas somando as duas incinerações. Foram drogas que a Justiça autorizou a destruição, sendo uma incineração no primeiro semestre e outra, no segundo semestre”, finalizou o diretor do Denarc, Ataíde Alves.