Polícia Civil

Estado de Sergipe

21 de novembro de 2023, 11:42

Polícia Civil prende homem em flagrante por invadir casa de idoso e se apropriar do benefício da vítima na região central de Aracaju

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Vítima chegou a comer ração de cachorro para sobreviver

Equipes da 2ª Delegacia Metropolitana (2ª DM) prenderam em flagrante um homem de 49 anos por invadir a casa de um idoso e maltratá-lo no próprio imóvel na região central de Aracaju. Por ter o benefício financeiro retido pelo investigado, a vítima chegou a comer ração de cachorros para sobreviver. A ação policial ocorreu nessa segunda-feira, 20.

De acordo com o delegado André Davi, o caso foi denunciado à Polícia Civil por vizinhos da vítima. “Os vizinhos relataram que o idoso estava sofrendo agressões físicas praticadas por um homem que tinha invadido sua residência. Então, fomos ao local e constatamos que de fato o idoso estava sendo agredido fisicamente”, detalhou.

Ainda conforme o delegado, na ação policial foi identificado que o homem invasor do imóvel da vítima obteve valores da vítima de forma ilegal. “Além de subtrair o cartão de benefício do idoso, fazia saques e ficava com o dinheiro da vítima. Ele passava por tanta necessidade que fazia o uso da ração dos cachorros”, revelou André Davi.

Não houve a necessidade de encaminhamento do idoso para uma unidade hospitalar, mas os vizinhos se prontificaram a comunicar à polícia caso houvesse um novo fato relacionado ao caso, conforme acrescentou André Davi. “Seja para encaminhá-lo ao hospital, seja para dar um auxílio a mantê-lo em segurança”, acrescentou.

Também segundo André Davi, o investigado não era conhecido da vítima. “O autor do fato disse que conhecia o antigo proprietário da casa, mas não há relação de parentesco ou de amizade entre o idoso e o agressor”, complementou o delegado titular da 2ª DM, unidade policial da área onde ocorreu o fato.

Em razão das práticas criminosas contra a vítima, o agressor será indiciado por crimes previstos no Estatuto do Idoso, como apropriação de bens e agressão. “E também o crime de resistência porque ele colocou os animais que havia na casa contra os policiais, por isso pedimos o apoio da Delegacia de Proteção Animal e Meio Ambiente”, finalizou André Davi.