Polícia Civil

Estado de Sergipe

4 de dezembro de 2023, 09:34

Polícia Civil prende homem em flagrante por furto de energia elétrica em Aracaju

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Prática foi constatada com o apoio da Polícia Científica

Equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra Concessionárias de Serviço Público (DRCSP) prendeu em flagrante um homem suspeito de furto de energia elétrica. A ação policial, que teve o apoio da Polícia Científica, foi divulgada nesta segunda-feira, 4.

De acordo com o delegado Rafael Brito, o suspeito é proprietário de um imóvel no bairro Santa Maria, em Aracaju. “No ano de 2020, foi verificada pela empresa Energisa a prática de desvio de energia elétrica”, detalhou.

Já na manhã da sexta-feira, 1º, foi feita denúncia sobre a prática de furto de energia. “A equipe se deslocou até o local e, com apoio da Polícia Científica de Sergipe, constatou a prática delitiva”, acrescentou o delegado.

O suspeito foi conduzido à delegacia e preso em flagrante. “Ele pagou fiança e vai responder em liberdade. O processo agora está tramitando no Poder Judiciário”, informou Rafael Brito.

Ainda conforme o delegado, a prática de desvio de energia pode ser configurada como estelionato ou como furto qualificado. “Mas o principal reflexo desse crime é diretamente na população sergipana”, revelou.    

“Atualmente, cobra-se em média uma taxa de 10% em razão do desvio de energia elétrica, por isso é importante combater essa prática. As denúncias podem ser feitas com as concessionárias, ou por meio da Polícia Civil”, complementou o delegado.

Trabalho integrado

Segundo Rafael Brito, a DRCSP atua também de forma integrada com as concessionárias de energia elétrica, fornecimento de água, telefonia e internet. “Sempre recebendo e colhendo informações, direcionando para o aspecto penal”, narrou. 

Caso seja constatada a necessidade de parecer pericial, é feito o contato com a Polícia Científica. “Nós atuamos em conjunto. A Polícia Científica faz a análise material do crime, e a Polícia Civil faz a parte do aspecto penal”, finalizou Rafael Brito.