Polícia Civil

Estado de Sergipe

2 de janeiro de 2024, 10:50

Polícia Civil inicia investigação sobre explosão e desabamento de imóvel em Aracaju

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Quinto corpo foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros. Identificações estão sendo feitas pelo Instituto de Identificação

A Polícia Civil já instaurou, nesta terça-feira, 2, um inquérito policial para apurar a explosão e desabamento de um residencial localizado na avenida João Ribeiro, no bairro Santo Antônio, em Aracaju. Nesta terça-feira, 2, as equipes do Corpo de Bombeiros encontraram um corpo masculino e outro feminino. Ambos estavam em pontos diferentes do imóvel e há uma laje, com instabilidade, entre os locais onde os dois corpos foram localizados. Já são cinco mortes confirmadas.

Desde o dia 31 de dezembro, data em que ocorreu o fato, as equipes do Corpo de Bombeiros vem trabalhando no local, conforme explicou o comandante da corporação, coronel Fábio Cardoso. “Já fizemos a remoção de entulhos, prospecções de lajes, retirada de lajes que tinham instabilidade, tudo isso para dar segurança na chegada às vítimas”, explicou.

Conforme o coronel, o prédio está parcialmente danificado. “No local onde ocorreu a explosão, houve o desabamento total, colapsaram todas as lajes. Entretanto, as demais partes da edificação foram preservadas. Já os prédios vizinhos, é competência da Defesa Civil que vai fazer a avaliação das condições estruturais das edificações vizinhas”, complementou o comandante.

Além dos cinco corpos já encontrados pelas equipes de resgate, o trabalho está em andamento pois há ainda uma pessoa na condição de desaparecida. “A gente vai focar onde possivelmente era a unidade residencial dessa pessoa, com o trabalho complementar para saber se estava dentro da edificação”, informou o coronel.

É um trabalho de prospecção, conforme evidenciou o comandante do Corpo de Bombeiros. “A gente vai agora onde está a unidade residencial dessa vítima, e a gente vai fazer as incursões com remoção de escombros, ruptura de lajes, estabilizando com escoras e removendo ameaças”, acrescentou.

Esse trabalho também conta com o auxílio dos cães para a varredura para a celeridade na busca dessa última vítima. “E estamos em torno de 50 pessoas. As equipes trabalham em forma de revezamento, em grupos pequenos. Agora, a gente está lá com duas equipes”, complementou o comandante do Corpo de Bombeiros.

Investigação

Segundo o delegado André Gouveia, titular da 3ª Delegacia Metropolitana (3ª DM) que investiga o caso, o inquérito policial tem como objetivo o esclarecimento dos fatos em torno da explosão e do desabamento. “Vamos começar as oitivas das testemunhas e do proprietário do imóvel, além de obter os laudos periciais”, explicou.

No decorrer das investigações, é que se tornará possível informar o que ocorreu. “A princípio, o que vamos apurar é a explosão e o desabamento. Mas, existe a possibilidade culposa, mas é a investigação que irá dizer da existência ou não e as circunstâncias em que o fato ocorreu”, complementou o delegado.

Para a investigação, o Corpo de Bombeiros também passará informações sobre as condições técnicas da edificação. “E a princípio nós temos 30 dias para concluir a investigação,mas é um caso que depende muito da perícia. Mas a princípio trabalhamos com o prazo de 30 dias”, informou André Gouveia.

Corpos encontrados nesta terça-feira

Nesta terça-feira, 2, as equipes localizaram mais um corpo de uma vítima da explosão com desabamento da edificação na Zona Norte de Aracaju. “Com esse corpo, infelizmente, chegamos a cinco óbitos. A informação preliminar é de que se trata de um corpo do gênero feminino”, explicou o comandante do Corpo de Bombeiros.

Três primeiros corpos

Das cinco pessoas que morreram na explosão seguida de desabamento, três tiveram os corpos encontrados ainda no domingo, 31, data do fato. Inicialmente, foram confirmadas as mortes de Isla Solimar Batista Santos, 20 anos; Weslly André Santos, 20; e Guilherme Alves de Souza, 21. As vítimas tinham lesões na cabeça e escoriações no corpo.

Os corpos foram identificados oficialmente por peritos oficiais do Instituto de Identificação Papiloscopista Wendel da Silva Gonzaga (IIWGS). Com levantamento de dados e análises de impressões digitais, além de outros procedimentos, foi possível identificar as vítimas. Já a causa da morte foi identificada pelo Instituto Médico Legal (IML).