Polícia Civil

Estado de Sergipe

13 de março de 2024, 17:42

Operação contra torcidas organizadas resulta na apreensão de entorpecentes, objetos utilizados em agressões físicas e celulares roubados

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Ação conjunta aconteceu na sede das duas principais torcidas organizadas na tarde desta quarta-feira, 13, com duas prisões em flagrante

Em mais uma ação contra os crimes praticados por torcidas organizadas em Sergipe, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) deflagrou uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar na tarde desta quarta-feira, 13. Foram apreendidas drogas e objetos utilizados em agressões físicas, a exemplo de soco-inglês. Duas pessoas foram presas em flagrante, portando celulares roubados. A ação policial contou com equipes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), do Batalhão de Choque (BPChoque) e do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp).

De acordo com o diretor do Cope, delegado Dernival Eloi, desde a morte do torcedor no terminal de ônibus DIA, a SSP determinou a intensificação das ações de segurança pública em torno da apuração de crimes cometidos pelas torcidas organizadas em Sergipe. “Então, nesta quarta-feira, estamos dando cumprimento a mandados de busca e apreensão nas torcidas organizadas do Sergipe e do Confiança”, detalhou.

Os mandados de busca tiveram como objetivo a apreensão de materiais ilícitos. “Tendo em vista que torcedores presos anteriormente narram que existiam materiais ilícitos nas sedes das torcidas organizadas. Portanto, o objetivo da operação foi apreender esses materiais. Trata-se de uma das várias medidas adotadas pela SSP. As diligências irão continuar e serão intensificadas”, ressaltou Dernival Eloi.

Resultado da operação

Como resultado da operação, foram realizadas duas prisões em flagrante e apreendidos entorpecentes, celulares roubados, bastões utilizados nas brigas e soco-inglês. “O que foi apreendido será devidamente detalhado e informado à Justiça. O inquérito policial continua em andamento e novas medidas serão adotadas pela Polícia Civil, bem como pelo policiamento ostensivo realizado pela Polícia Militar”, descreveu Dernival Eloi, diretor do Cope.

Intensificação do policiamento

Já a partir dos próximos jogos, ficam definidas que as torcidas organizadas não poderão entrar nos estádios de futebol do campeonato sergipano com faixas, bonés, calças, agasalhos, bandeiras e quaisquer outras indumentárias similares que identifiquem os grupos organizados. A portaria passou a vigorar já nesta quarta-feira e faz parte da intensificação do policiamento em torno dos jogos de futebol e dos dias das partidas.

Conforme o subcomandante do Batalhão de Choque (BPChoque), major Josival Lima, as ações estão intensificadas já que uma nova portaria definiu normas rigorosas relacionadas com as torcidas organizadas em Sergipe. “Iremos fazer um pente-fino. Essa é uma medida que visa coibir a violência nos estádios de futebol e no entorno. O cumprimento da determinação se dará por abordagens e fiscalização de quem chega aos estádios”, detalhou.

Segundo o coronel George Melo, comandante do Policiamento Militar da Capital (CPMC), com a portaria em vigor, a partir de agora será feito o cadastramento dos integrantes das torcidas organizadas. “Vamos ter todo um controle. O intuito é resgatar a presença das pessoas de bem nos estádios e punir aqueles que desejem cometer todo o tipo de desordem”, assegurou.

Nove prisões por morte de torcedor

Na terça-feira, 12, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) cumpriu mais cinco mandados de prisão preventiva contra investigados pelo crime ocorrido no último dia 4 de fevereiro, na capital sergipana, e que teve como vítima fatal um integrante de torcida organizada. Outros quatro já haviam sido presos temporariamente no dia 14 de fevereiro. Os mandados de prisão temporária foram convertidos em prisão preventiva.

As investigações sobre o caso mostraram que na tarde do domingo, 4 de fevereiro, dia de clássico do futebol sergipano, quando um ônibus repleto de torcedores do Sergipe chegava ao terminal de integração DIA, em Aracaju, foi recepcionado por membros da torcida rival, do Confiança, com bombas e pedradas. Durante a confusão, um jovem foi morto com golpes de extintor, além de outras agressões violentas praticadas por uma torcida organizada.