Polícia Civil

Estado de Sergipe

20 de novembro de 2023, 08:18

Investigado de alta periculosidade por tráfico de drogas e homicídios é preso após denúncia de violência doméstica em Rosário do Catete

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Por ser de alta periculosidade, ele foi transferido para presídio federal

Um homem de 37 anos investigado como líder de uma organização criminosa voltada ao tráfico de drogas e homicídios foi preso após denúncia de crime previsto na Lei Maria da Penha em uma ação conjunta entre as polícias Civil e Militar. Ele ainda tentou subornar as equipes policiais. Diante da periculosidade do investigado, a prisão preventiva foi decretada e ele foi transferido para um presídio federal de segurança máxima. A prisão foi divulgada nesta segunda-feira, 20. 

De acordo com as informações policiais, os crimes de tráfico de drogas e homicídios ocorreram em diversas cidades de Sergipe, incluindo Rosário do Catete, Carmópolis, Santo Amaro, Maruim e Barra dos Coqueiros. Ele estava foragido há 15 anos. Contra ele, havia dois mandados de prisão preventiva por homicídio e roubo – ambos desencadeados a partir de investigações da Delegacia de Rosário do Catete. 

Na tarde desse domingo, 19, ele foi preso decorrente de uma ocorrência de crime previsto na Lei Maria da Penha. A vítima negou os fatos. Contudo, com a chegada da Polícia Militar, após denúncias anônimas, o investigado quebrou um vidro e fugiu pela janela. Diante do fato,os policiais militares o contiveram e o levaram à Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV). Na DAGV, ele foi identificado.

Ainda conforme as informações policiais, há alguns meses, a Delegacia de Rosário do Catete deflagrou a operação Diáspora, para combater duas organizações criminosas voltadas ao tráfico de drogas e aos homicídios. Na operação, foram presas oito pessoas e duas entraram em confronto. 22 inquéritos policiais subsidiaram a investigação que culminou na Operação Diáspora.

Juntando os elementos de provas, a Delegacia de Rosário do Catete representou, ainda em 19 de novembro, no plantão judiciário, uma terceira prisão preventiva – por liderança de organização criminosa – e a transferência do investigado ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) em presídio federal de segurança máxima. Ambos os pedidos foram deferidos. 

A investigação prossegue a fim de prender mais investigados por integrarem a organização criminosa. 

A ação policial contou com a atuação conjunta entre a Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), 3ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar (8º BPM), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), 9º Batalhão da Polícia Militar (9º BPM), Delegacia de Carmópolis, Delegacia de Rosário do Catete e Guarda Municipal de Rosário do Catete.