Polícia Civil

Estado de Sergipe

26 de janeiro de 2024, 12:27

Ação conjunta indicia investigado por estupro de vulnerável e armazenamento de material de exploração sexual de adolescentes

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Dispositivos eletrônicos foram apreendidos na casa do investigado em Japaratuba. Material passou por perícia que atestou prática dos crimes

Em investigação sobre crimes de estupro de vulnerável, exploração sexual infantojuvenil e produção, armazenamento e distribuição de cenas contendo as práticas criminosas, a Delegacia de Japaratuba instaurou uma investigação contra um policial militar de Sergipe. Na última quinta-feira, 25, uma ação conjunta entre as polícias Civil, Militar e Científica cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do investigado, onde dispositivos foram apreendidos, e o laudo pericial constatou a prática dos crimes.

De acordo com as investigações conduzidas pela Delegacia de Japaratuba, a denúncia foi recebida pela unidade policial no dia 27 de novembro de 2023. As informações revelaram que o investigado possui fotos de uma menor de 13 anos sem roupas e sendo abusada sexualmente. A denúncia também informava que ele pagava para que as vítimas fossem levadas a uma suposta festa, onde ocorriam os crimes contra adolescentes.

Diante da gravidade das denúncias, a Delegacia de Japaratuba instaurou o inquérito policial. A unidade policial solicitou decisões judiciais de busca e apreensão na casa do investigado, que foram cumpridas pela delegacia, com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol), da Polícia Científica e da Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE). A ação policial ocorreu na residência do investigado no Conjunto Brasil II, em Japaratuba.

Na ação policial, foram apreendidos DVD, HD de computador, celular e um pendrive. Todo o material encontrado na ação policial foi encaminhado à perícia e, conforme o relatório pericial feito pelo Instituto de Criminalística (IC), foram encontradas provas materiais dos crimes de estupro de vulnerável e exploração sexual infanto-juvenil. Os exames periciais foram feitos tanto no local onde os itens foram apreendidos, quanto na sede do IC.

As investigações continuam em andamento para identificar eventuais vítimas e se há o envolvimento de outras pessoas nas práticas dos crimes de estupro de vulnerável e armazenamento, produção e divulgação de material em fotos ou vídeos contendo cenas de exploração sexual infanto-juvenil. Outras informações podem ser denunciadas à polícia por meio do Disque-Denúncia (181). O sigilo é garantido.